Custo fantasma?Onde e como descobrir em nosso hotel.

Os custos fantasma: Onde estão e para quem eles aparecem?

Quando falo de custos na hotelaria, gosto de dizer uma frase citada por W. Edwards Deming

Não se gerência o que não se mede,não se mede o que não se define,não se define o que não se entende e não há sucesso no que não se gerencia

 Pois bem, o custo fantasma esta dentro deste contexto. Quando apuramos um custo de forma básica se não for aplicada a devida forma gerencial correta bem como técnicas corretas ele não ira aparecer ou só ira aparecer para determinada “ alma” santa que as vezes carece de vontade para mostrar e corrigir este custo , pois além de ser trabalhoso, ele poderia estar gerando benefícios escusos .

Como exemplo cito a distribuição e controle de amenidades. ( CENTRO DE CUSTOS HOSPEDAGEM)

Hotel com 180 Uh´s tem um Custo mensal em amenidades.R$ 12.600,00

Taxa de ocupação diária de 60% /mês = 3.240 diárias mês.

Apresentação1

Como podemos ver no DRE hoteleiro acima o custo de amenidades aparece perfeitamente lançado. Mas após a apuração técnica descobrimos que seu custo esta 23% acima do esperado. O custo fantasma só aparece para quem o procura. E digo, muitas vezes ele esta bem escondido ou melhor e trabalhado para ser e ficar escondido.

30 x 180 Uhs 5.400 diárias 60% =3.240 diárias
Custo amenidades mês R$ 12.600,00

Total amenidades= 4.200

Total diárias mês : 3.240 Total projetado para as 3.240 uh´s=R$ 9.600,00

Gasto acima do esperado ;R$ 3.000,00 ou 23,8%

A grande maioria dos hotéis que tenho trabalhado a gestão de custos e feita somente pela análise de DRE hoteleiro e resultado operacional. Na verdade, avalia-se três PONTOS. Receitas, despesas e apuração de resultados. Muitas vezes o sistema de gestão hoteleiro e deixado de lado ou mesmo desdenhado . Com plena certeza, sistemas de PMS ( gestão hoteleira ) como DESBRAVADOR estão formatados para apresentar uma quantidade enorme de relatórios e dados que após analisados e com aplicação de uma gestão estratégica de custos podem controlar e reduzir estes custos anormais. São inúmeros relatórios como ficha técnica de pratos, controle de almoxarifado, controle de baixa em estoque e inúmeros outros que o sistema como DESBRAVADOR oferecem aos gestores hoteleiros.

Mais uma vez usamos a máxima de Edwards Deming , o que não medimos não sabemos o que gasta, e se não sabemos o que gasta não sabemos o que perdemos.

 

 

 

Sobre marco tulio quina queiroz

Profissional da hotelaria com mais de 18 anos de atuação em hotéis , resorts,de categorias 3,4,e 5 estrelas gerenciando e implantando procedimentos, treinamentos e padronizações de qualidade e eficiência operacional.Formado em hotelaria e turismo e administração de empresas com enfase em empreendedorismo e gestão de custos.Hobbys , motos, aviões, barcos, vinhos, whiskys, viagens, gastronomia e viagens pelo Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *